O ator Miles Teller deu uma declaração polêmica para a revista W ao comentar que depois de fazer o filme Divergente ele se sentia “morto por dentro”.

Teller interpretou Peter no primeiro filme da franquia baseada nos livros de Veronica Roth. Seu personagem é o novato da equipe Audácia que fica sempre provocando Tris ao longo do treinamento.

“Eu não tive uma papel interessante em Divergente, e eu tinha assinado com o filme por razões comerciais. Foi o primeiro filme que fiz que teria uma audiência internacional. Eu liguei para o meu agente e disse: 'Isso é uma merda!’", declarou o ator.

O ator Miles Teller diz que aceitou fazer Divergente apenas por razões comerciais. Fonte da imagem: Reprodução/Lionsgate

A entrevista foi concedida como forma de divulgação de seu novo filme, Whiplash, grande vencedor do último Festival de Sundance, no qual ele interpreta um jovem baterista que sonha com o sucesso.

Imediatamente após a publicação da entrevista, a agência de Teller soltou um comunicado tentando minimizar o estrago da declaração do ator: “Acostumado a estar mais envolvido no processo de filmagem, Miles lamenta suas palavras. Ele valoriza a sua relação com a Lionsgate (estúdio produtor de Divergente) e sua participação na franquia”.

A declaração de Teller não poderia ser mais infeliz. O ator tem pela frente duas grandes produções para divulgar: ele vive Reed Richards, o Sr. Fantástico, no reboot do Quarteto Fantástico e volta a interpretar Peter, o personagem que o deixou "morto por dentro", em Insurgente, sequência de Divergente que tem previsão de lançamento para março de 2015. O que será que ele tem a dizer desses novos blockbusters?