Entre tantos reboots e remakes que chegam às telas, Jumanji: Bem-vindo à Selva é provavelmente um exemplar que nem todo mundo esperava ver. O original, estrelado pelo saudoso Robin Williams foi lançado há duas décadas com razoável sucesso junto ao público, mas não havia se tornado tão memorável quanto outras obras da época.

A proposta de trazer a trama de aventura para o novo milênio tem seus desafios; a primeira delas é de adaptar a história para um período em que jogos de tabuleiro deixaram de ser populares e deram espaço para games computadorizados. Nesse quesito, Jumanji precisaria ainda se diferenciar de outras narrativas que emprestam elementos dos títulos de videogames.

Além disso, o novo Jumanji teria que se distanciar da imagem de Robin Williams e não tentar imitar o estilo de humor-família do comediante. Para alcançar esse objetivo, a produção conta com um quarteto de figuras bastante peculiares, com Dwayne Johnson, Jack Black, Kevin Hart e Karen Gillian.

Dwayne Johnson, Jack Black, Kevin Hart e Karen Gillian formam o quarteto principal de Jumanji: Bem-vinda à Selva. Fonte da imagem: Divulgação/Sony Pictures

Tudo sugeriria um gameplay de alto grau de dificuldade e fadado ao fracasso (e os trailers pouco fizeram para nos convencer do potencial do longa). Surpreendentemente, Jumanji: Bem-vindo à Selva é uma aventura agradável, divertida e descompromissada, e que merece ser vista pelo público – especialmente o mais jovem em período de férias de verão no Brasil.

A força da produção está no encaixe perfeito das peças de sua engrenagem. O quarteto principal, com atores de estilos de atuação tão diferentes, apresenta uma ótima química e funciona muito bem (e conta com o acréscimo de Nick Jonas a partir do segundo ato).

Dwayne Johnson tem cenas impagáveis como o “intenso e profundo” líder da equipe dentro do jogo; e Karen Gillian responde bem às críticas que acusavam a caracterização sensualizada de sua personagem – no final, há um propósito e uma mensagem (ainda que meio tortos) para a atriz aparecer com pouca roupa no filme.

Quem ganha com isso é a garotada que procura uma boa diversão nos cinemas. O novo Jumanji sabe adaptar o mote do longa original e como se comunicar com o público atual. Bem-vindo à Selva pode não ser o remake que estávamos esperando; mas talvez seja justamente por isso que o resultado acaba nos surpreendendo. Missão cumprida!

Jumanji: Bem-vindo à Selva estreia no dia 4 de janeiro nos cinemas brasileiros.