A temporada de premiações do cinema está a todo vapor. No começo do mês, vimos Três Anúncios para um Crime sair como grande vencedor no Globo de Ouro e começar a despontar como favorito ao Oscar — premiação da Academia que é conhecida por dar suas "patinadas" na hora de definir seus ganhadores. Há casos em que nem o próprio vencedor acreditou, de tão absurdo que foi.

Para ilustrar esses equívocos, organizamos uma lista com alguns dos maiores erros proferidos pela Academia:

1. Cidadão Kane perdendo como melhor filme para Como era Verde o Meu Vale (1941)

Enquanto o primeiro é uma obra-prima classificada como um dos melhores filmes já feitos, o segundo não é nem de perto o melhor longa já dirigido por John Ford. Orson Welles era tido como persona non grata em Hollywood, e perder esse prêmio só reforçou essa alcunha.

2. Shakespeare Apaixonado ganhando de O Resgate do Soldado Ryan (1999)

A Academia premiou de todas as formas o drama de guerra de Spielberg, incluindo melhor diretor. Agora tente explicar qual foi o motivo de entregar o maior prêmio da noite para um simples drama romântico que é completamente esquecível.

3. Gwyneth Paltrow derrotando Cate Blanchett (1999)

Pois é, 1999 foi um ano confuso para o Oscar. Todos davam como certa a vitória de Blanchett, por sua belíssima performance como a rainha Elizabeth no filme de mesmo nome. Mas Paltrow acabou vencendo, e sua reação ao discursar diz muito sobre como foi surpreendente a sua vitória, até mesmo para a própria atriz.

4. Bob Fosse derrotando Francis Ford Coppola (1973)

Que Bob Fosse nos perdoe, mas derrotar Coppola e sua obra-prima máxima O Poderoso Chefão é difícil de aceitar. Pelo menos a produção levou os prêmios de melhor filme, ator e roteiro, e Coppola ganhou o de melhor diretor pela continuação, três anos depois.

5. Rocky ganhando o Oscar de melhor filme (1977)

Todos nós amamos Stallone e seu Rocky Balboa, mas vencer em um ano que tinha Taxi Driver e Todos os Homens do Presidente é no mínimo curioso.

6. Crash ganhando de O segredo de Brokeback Mountain (2006)

Mais um caso em que nem o vencedor acreditou, tanto que anos depois o diretor Paul Haggis se desculpou por ter tirado de Ang Lee o prêmio de melhor filme, mesmo não sendo sua culpa.

7. A vitória de O Discurso do Rei (2011)

O filme tem três magníficas atuações, principalmente Colin Firth, mas não passa disso, e vencer melhor filme em um ano de Rede Social e Cisne Negro não faz sentido.

8. Dança com Lobos e Kevin Costner derrotando Martin Scorsese e seu Bons Companheiros (1991)

É só ler o título do tópico e pensar: “de qual filme eu me lembro?”; outro ponto é que a Academia não iria premiar um filme recheado de palavrões, como Bons Companheiros.

9. Pulp Fiction perdendo para Forrest Gump (1995)

Esses são dois filmes exemplares e que marcaram os anos 90, mas assim como no tópico anterior, a Academia não iria premiar um filme “errado”, que flerta com o gore e com os gostos duvidosos do diretor Quentin Tarantino.

10. Chicago vencendo na categoria melhor filme (2003)

Em um ano com dois épicos, “Gangues de Nova York” e “Senhor dos Anéis: As duas torres”, um musical do não tão bom Rob Marshall saiu com 6 prêmios, incluindo melhor filme.

11. O Labirinto do Fauno não ganhar o prêmio de melhor filme estrangeiro (2007)

O prêmio ficou em boas mãos com o alemão A Vida dos Outros, mas seria muito melhor premiar um épico fantástico como O Labirinto do Fauno.

12. Tommy Lee Jones derrotando Ralph Fiennes como melhor ator coadjuvante (1994)

Tommy Lee Jones está espetacular em O Fugitivo, mas Ralph Fiennes e seu comandante sociopata Amon Goth, em A Lista de Schindler, está entre as melhores performances da história.

13. Mauro Fiore vencer em melhor fotografia por Avatar (2010)

Um filme que é praticamente 90% CGI ganhar melhor fotografia é no mínimo curioso, principalmente considerando os concorrentes: Robert Richardson, por Bastardos Inglórios, e Christian Berger, por A Fita Branca.

14. O Artista vencendo como melhor filme (2011)

O Artista só ganhou porque a Academia gosta de lembrar seus tempos áureos, do início de Hollywood, porque nada mais justifica o prêmio além de uma fotografia estilizada.

15. Bill Murray perdendo para Sean Penn (2004)

Sean Penn é um monstro de atuação e um poço sem fundo de tantas emoções em Sobre Meninos e Lobos, mas seria bem melhor premiar a sutileza e a delicadeza de Bill em Encontros e desencontros.

16. Birdman tirar o prêmio de melhor filme de O Grande Hotel Budapeste (2015)

Birdman é um filme extremamente difícil de se conceber, principalmente por ser praticamente todo em plano sequência, mas seu concorrente venceu em quase todas as categorias técnicas.

17. Michael Keaton não vencendo como melhor ator por Birdman (2015)

Se existe uma coisa a parabenizar e valorizar em Birdman, é a atuação de Keaton. Ele praticamente interpreta a si mesmo como um ator que vive de glórias passadas como um super-herói, mas o vimos perder para Eddie Redmayne.

18. Alejandro González Iñarritu vencer George Miller como melhor diretor (2016)

Ter ganho 1 ano antes por Birdman já foi duvidoso, mas ganhar de George Miller e sua obra-prima do caos Mad Max: A Estrada da Fúria é pedir demais. Basta olhar o making of para entender a injustiça que a Academia cometeu aqui.

19. Alfred Hitchcock nunca ter vencido

O diretor que revolucionou o suspense e é reverenciado por todos, incluindo a velha guarda (Ilha do Medo, de Scorsese, é um filme de Hitchcock sem Hitchcock), nunca venceu como diretor ou teve algum filme vencedor. Nesse caso, quem saiu perdendo foi a Academia, por não ter dado nada além de um prêmio honorário ao mestre.

Este texto foi escrito por Pedro Henrique via N-experts.