Tracee Ellis Ross, atriz de Black-ish, está reivindicando uma melhora de salário após o estouro do movimento Time’s Up no Globo de Ouro. Ela é coprotagonista da série ao lado do ator Anthony Anderson e fez exigências para continuar. Caso não haja melhora salarial, ela vai se tornar apenas uma atriz com participação especial, reduzindo drasticamente sua presença no seriado. Além disso, ela começará a fazer pontas em outras séries para completar o que falta.

O site The Hollywood Reporter apurou que Tracee recebe bem menos que seu companheiro na série, e que ela começou a fazer demandas quando as negociações para uma quinta temporada se iniciaram. A atriz tem todo o direito de pedir um pagamento igualitário, visto que ela e Anderson dividem praticamente o mesmo tempo de tela, mas existe um ponto que torna essa exigência um pouco mais complicada.

Anthony Anderson também é produtor-executivo ao lado de Kenya Barris, além de ter ligação direta na criação de diversos episódios. Não é uma situação simples, como foi em Todo o Dinheiro do Mundo, em que Mark Wahlberg e Michelle Williams são apenas atores no filme, e a atriz recebeu 1% do que foi pago a Mark para as refilmagens. Tracee terá um longo caminho para buscar a igualdade salarial.

Fonte da imagem: Reprodução/ABC

Ainda de acordo com o The Hollywood Reporter, essa iniciativa da atriz dividiu grande parte da ONG Time's Up. Alguns membros têm receio de que ela perca o emprego ou se torne uma extra, sem garantia de quantos episódios participará, portanto com um salário menor do que o atual.

Se o acordo que Tracee Ellis Ross está exigindo não for aceito, gerará sérias mudanças criativas em Black-ish, que é uma das produções que vêm recebendo mais indicações nas últimas premiações para televisão. Inclusive, a atriz recebeu um Globo de Ouro de melhor atriz em série de comédia em 2017.

Este texto foi escrito por Pedro Henrique via n-Experts.