Indicado ao Oscar de Melhor Roteiro Original em 2018, A Forma da Água pode não ser tão original assim. O novo filme de Guillermo Del Toro acaba de ser acusado de plagiar uma peça apresentada originalmente nos Estados Unidos no ano de 1969.

O processo judicial de plágio foi movido por David Zindel, que alega que o longa-metragem de Del Toro tem inspiração escancarada na obra "Let me Hear You Whisper" [Deixe-me te Ouvir Sussurrar], escrita pelo pai dele, o dramaturgo Paul Zindel.

Embora o roteiro do filme tenha sido assinado por Guillermo del Toro e Vanessa Taylor, a ação foi movida contra a Fox Searchlight, contra Del Toro, enquanto diretor, e contra o produtor Daniel Kraus.

Se você já assistiu à belíssima película que estreou no Brasil no dia 1º de fevereiro, vai reconhecer algumas similaridades.

Segundo Zindel, a peça conta a história de uma jovem zeladora tímida e introvertida que cria um laço com um golfinho enquanto trabalha em um laboratório militar durante a Guerra Fria. Depois de descobrir que o animal vai ser dissecado, ela decide elaborar um plano de resgate para retirá-lo de cativeiro e devolvê-lo ao mar.

Familiar? Pois é! Em A Forma da Água, temos Elisa (Sally Hawkins), que é muda e trabalha na equipe de limpeza de um laboratório na cidade de Baltimore, ao lado de Zelda (Octávia Spencer).

Solitária, Elisa se vê intrigada com uma novidade no ambiente de trabalho – uma misteriosa criatura encontrada no mar em região próxima à costa sul-americana e levada para ser estudada. A protagonista se aproxima e se afeiçoa à criatura, vendo-se em pânico quando descobre que esta pode ser ferida – ou pior – durante os processos de estudo.

Ambas as histórias são alegorias sobre o poder do amor e da amizade sobre a guerra e o ódio, ambientadas em tempos de disputas raciais e nacionalistas.

A alegação do processo é de que Zinder – que faleceu em 2003 – teria escrito o texto original pensando justamente na falta de sentido das guerras e da crueldade que deriva delas. O escritor também teria escolhido o laboratório como ambientação da história por ter sido professor de Química antes de atuar como dramaturgo, conforme disse ao jornal The Guardian a ex-mulher do autor, Bonnie Zinder.

Embora seja reconhecido pela obra "The Effect of Gamma Rays on Man-in-the-Moon Marigolds", que lhe rendeu um prêmio Pulitzer, o autor não alcançou grande projeção de público com "Let me Hear You Whisper".

Questionado sobre o caso, Guillermo Del Toro disse que nem ele nem o restante do time envolvido na criação de A Forma da Água tinham sequer ouvido falar sobre a peça até agora.

Em comunicado oficial, a Fox Searchlight afirmou que as acusações não possuem fundamento e que entrará com medidas legais para cancelar a ação, dando a entender que o timing das alegações é suspeito – nas proximidades da cerimônia de entrega do Oscar, que acontece na noite de 04 de março. Para a Fox, a ação é puramente oportunista e visa obter um acordo de indenização por parte da produtora, para evitar problemas com a premiação.

Veja um trecho do comunicado

"Guillermo del Toro nunca leu ou viu a peça do sr. Zindel em nenhum formato. Sr. Del Toro construiu uma carreira de 25 anos, durante a qual já fez 10 filmes adaptados e sempre tem sido muito aberto a reconhecer suas influências. Se a família Zindel tem questões sobre o trabalho original, nós estamos abertos a uma conversa."

Um dos filmes mais esperados do ano, A Forma da Água foi o título com maior número de indicações ao Oscar em 2018, com impressionantes 13 nomeações. Além da categoria de Roteiro Original, o longa-metragem concorre como Melhor Filme, Melhor Diretor (Del Toro), Melhor Atriz (Sally Hawkins), Melhor Ator Coadjuvante (Richard Jenkins), Melhor Atriz Coadjuvante (Octavia Spencer), Melhor Fotografia, Melhor Figurino, Melhor Mixagem de Som, Melhor Edição de Som, Melhor Design de Produção, Melhor Montagem e Melhor Trilha Sonora.

Este texto foi escrito por Luciane Leopoldo Belin via n-Experts.