Ser mãe não é fácil! E mesmo quando você se esforça pra caramba para conseguir dar conta de tudo e quer o melhor que há no mundo para os seus filhos, às vezes você falha! Mas, convenhamos: existem erros e erros, não é mesmo?

Por exemplo: em Big Little Lies, conhecemos várias mães que têm em seus filhos o objetivo principal da vida. Elas estão envolvidas até o pescoço com atividades escolares e extracurriculares das crianças, participam de tudo. Ainda assim, boa parte acontece mais pela competição social entre elas para ver quem é a mãe mais envolvida do que de fato por pensarem nas crianças!

Se isso é um erro imperdoável? É claro que não, especialmente porque há uma infinidade de outras coisas acontecendo nas vidas dessas mulheres! Listamos abaixo algumas mães das séries que constantemente tropeçam — muitas delas, por puro egoísmo e ambição.

Dark

Hannah Kahnwald (Maja Schöne) é uma personagem com vários problemas sérios para resolver. Para começar, Dark se inicia justamente com o suicídio de seu marido, Michael.

Ela estava tendo um caso com Ulrich (Oliver Masucci) e negligenciando o filho Jonas (Louis Hofmann), mas a partir do momento que Mikkel desaparece e Ulrich tem que se voltar mais para sua família, Hannah se descontrola e esquece completamente que tem um filho.

Quando Jonas repetidamente se coloca em perigo para tentar entender o que está acontecendo com o espaço-tempo, ela nem percebe que ele desapareceu. Aliás, ela ignora completamente o fato de que o menino acabou de perder o pai e quase coloca sua própria vida em risco.

Jessica Jones

A gente poderia passar um bom tempo aqui falando sobre os erros da Alisa (Janet McTeer) na 2ª temporada de Jessica Jones, mas a relação delas é tão diferente de tudo o que podemos considerar padrão, que é melhor não opinar, não é mesmo?

Até porque a série da Marvel/Netflix tem outro exemplo de mãe que simplesmente não para de vacilar. E seu nome, claro, é Dorothy Walker (Rebecca De Mornay). Ambiciosa, ela só quer saber de sucesso e alcançar por meio de Trish (Rachael Taylor) o que não conseguiu sozinha: fama e dinheiro.

Mom

Christy (Anna Faris), Bonnie (Allison Janney) e Violet (Sadie Calvano) compõem três gerações de uma família que é a verdadeira definição de disfuncional.

Ninguém duvida de que exista muito amor envolvido, mas o problema das personagens da série de Chuck Lorre é que elas estão todas tão envolvidas em sua própria bagunça que não conseguem priorizar uma relação saudável! E claro, há também a questão das drogas e dos relacionamentos tóxicos com homens!

Once Upon a Time

Emma (Jennifer Morrison) e Regina (Lana Parrilla) passam um bom tempo brigando pela guarda de Henry, muitas vezes usando artifícios não muito recomendados. Regina, especialmente, sequestra o menino sempre que pode.

Mas nem mesmo a rainha da maldade é páreo para sua própria mãe. Cora (Barbara Hershey) compete com a filha por poder, manipula Regina sempre que pode e incentiva a filha a cometer todos os erros, dizendo que ninguém nunca vai amá-la.

E claro, tem o fato de que ela mata o amor da vida de Regina, Daniel.

Revenge

Victoria Grayson (Madeleine Sotwe) só quer saber de manter seu status de socialite riquíssima e passá-lo para a próxima geração. Os filhos Daniel (Josh Bowman) e Charlotte (Christa B. Allen) são duas das prioridades dela, mas a ricaça faz os dois sofrerem com uma tramoia atrás da outra. Isso sem falar naquele filho que ela abandonou, não é mesmo?

The Good Fight

A gente nunca sabe muito bem o que Lenore Rindell (Bernadette Peters) está tramando. Se ela está tendo um caso com o tio de Maia (Rose Leslie), se só está fazendo isso para livrar o couro do marido ou se no fim das contas ela nem se importa com o destino de Maia quando a jovem advogada acaba acusada pelos crimes envolvendo todo o dinheiro do esquema do pai. A gente ainda está para descobrir.

Mas o fato é que Lenore usa a filha como um recurso sempre que pode e não costuma pensar em como ela está se sentindo, pois coloca Maia uma confusão sem tamanho — sem falar do abalo psicológico.

A série segue a tradição de sua anterior, já que em The Good Wife a mãe de Alicia Florrick (Julianna Margulies), Veronica (Stockard Channing), vivia criando problemas para a família resolver.

The Killing

Se Sarah Linden (Mireille Enos) fosse tão boa mãe quanto é policial, Jack (Liam James) estaria feito na vida. O fato é que comandar a família não é o forte da investigadora.

Morar em um hotel podrão? Check! Largar você com a assistente social no barco em que ela mora por dias a fio? Check. Perder você de vista e passar horas desesperada procurando? Check. Fazer você se despedir de todos os seus amigos, dizer que vão se mudar e depois acabar não indo (tipo, várias vezes!)? Check.

Sarah escancara para o filho que ele não é sua prioridade tantas vezes que o menino decide ir morar com o pai, que até pouco tempo atrás ele nem conhecia.

Game of Thrones

O título de mãe do ano é mais uma coisa que a nascida da tormenta vem roubar dos Lannister. Enquanto Daenerys Targaryen (Emilia Clarke) consegue chocar até ovo de dragão, Cersei Lannister (Lena Headey) alcançou a façanha de perder 100% dos filhos que ela gerou na vida — e digamos que ela tem uma parcela de culpa em todas as mortes!

Além do caminhão de maus conselhos, da manipulação, das atitudes duvidosas e das permissões excessivas, Cersei foi, temporada após temporada, tomando decisões que culminaram no assassinato de Joffrey (Jack Gleeson) pela matrona dos Tyrell, no envenenamento de Myrcella (Aimee Richardson) pelas Sand e no suicídio do coitado do Tommen (Callum Wharry).

Que fase, não é mesmo?

Menção honrosa: Grace & Frankie

Grace (Jane Fonda) não faz por mal, ela simplesmente não nasceu para isso. Mas uma das nossas vacilonas favoritas, ela definitivamente zoou o psicológico das filhas puramente porque ser mãe não é bem a vibe dela. Ainda assim, Grace e boa parte dessas mães fizeram o que fizeram porque queriam o bem da sua prole, então fica o nosso feliz Dia das Mães para todas!

Não deixe de conferir também nossa lista com as mãezonas mais incríveis das telas!

Este texto foi escrito por Lu Belin via nexperts.