Séries costumam ter meses de intervalo entre suas temporadas. Afinal, a equipe precisa de férias, e novos episódios devem ser produzidos, gravados e editados. Então, para não perder a audiência futura, o episódio final tem que ser muito bom — além, é claro, de deixar ganchos para a próxima temporada.

Por isso, quanto mais em suspense o público ficar, melhor. A estratégia chama-se cliffhanger, ou seja, deixando a trama "pendurada em um penhasco". Abaixo, montamos uma lista dos melhores cliffhangers de todos os tempos.

Friends — 4ª temporada, "Aquele com o casamento de Ross Parte II"

O episódio foi ao ar em 1998, mas todos sabemos que Friends é meio atemporal. O querido grupo de amigos (menos Phoebe) tinha viajado para Londres para prestigiar o casamento de Ross (David Schwimmer) com a britânica Emily (Helen Baxendale). Só que, ao subir ao altar para jurar amor eterno, ele chama a noiva de "Rachel", sua ex-namorada e uma de suas melhores amigas. É óbvio que, a partir daí, tudo daria errado — mas os fãs tiveram que esperar meses para ver exatamente como.

Game of Thrones — 7ª temporada, "O Lobo e o Dragão"

Teoricamente, o melhor fim de temporada deveria ser o da quinta, "A Misericórdia da Mãe" — quando Jon Snow (Kit Harington) é esfaqueado por seus irmãos da Patrulha da Noite e morre. Entretanto, todos sabiam que ele iria voltar: o personagem tinha muitas coisas para resolver, ele voltava nos livros, e vazaram imagens do ator nos sets de gravação (mesmo que os produtores jurassem que ele havia morrido).

Então, temos o final da sétima temporada, com alguns dos momentos mais aguardados pelos fãs. Jon e Daenerys (Emilia Clarke) finalmente se entregaram à paixão, só para o público descobrir o que esperava: Jon é filho de Lyanna Stark e Rhaegar Targaryen. Ou seja, tem mais direito ao trono do que a khaleesi — só que ele jurou servidão a ela, além de estar apaixonado. E, claro: os Caminhantes Brancos destruíram a Muralha, a única coisa que os mantinha longe. Para finalizar, a próxima temporada é a última de toda a série. Não dá para ficar mais ansioso do que isso, dá?

Mad Men — 4ª temporada, "Tomorrowland"

No fim do episódio, Don Draper (Jon Hamm) pediu em casamento Megan (Jessica Paré), sua secretária. Ninguém esperava que isso acontecesse, até que aconteceu — e fez todo mundo pensar "como eu não imaginei isso antes?". Para piorar, a série demorou mais do que nunca para voltar desse hiato.

Brooklyn 99 — 4ª temporada, "Crime e Punição"

Após passarem os últimos episódios perseguindo uma tenente corrupta, os detetives Jake Peralta (Andy Samberg) e Rosa Diaz (Stephanie Beatriz) caem em uma emboscada e são levados a julgamento. Eles não conseguem provar sua inocência e são declarados culpados pelo júri, enquanto a tenente ainda passa por heroína.

Sherlock — 2ª temporada, "A Queda Reinchebach"

Moriarty (Andrew Scott) conseguiu arruinar a reputação e a carreira de Sherlock Holmes (Benedict Cumberbatch), levando-o a cometer suicídio. Ao menos, era o que parecia, até descobrimos que ele havia forjado sua morte — é claro que isso só é esclarecido na temporada seguinte.

Grey's Anatomy — 8ª temporada, "Voo"

Esse episódio foi devastador: os médicos estão isolados após o acidente, e Lexie (Chryley Leigh) está morta. Ninguém da equipe médica de Seattle sabe onde eles estão e o que aconteceu, e só iríamos descobrir quem sobreviveu à queda na temporada seguinte.

Westworld — 1ª temporada, "A Mente Bicameral"

Uma coisa que Westworld faz bem é frustrar completamente as expectativas do público, apresentando algo que ninguém sequer havia cogitado. Por isso, era esperado que o fim da primeira temporada fosse uma surpresa, mas mesmo assim ninguém poderia imaginar os planos de Ford (Anthony Hopkins). Na verdade, na maior parte do episódio somos levados a acreditar que as coisas não vão tão bem assim para o parque, e que Dolores (Evan Rachel Wood) vai continuar em sua triste e confusa narrativa. Ainda bem que não acaba assim.

The Handmaid's Tale — 1ª temporada, "A Noite"

Logo no começo do episódio, várias bombas são levantadas: Serena (Yvonne Strahovski) descobre sobre as idas ao bordel e obriga Offred/June (Elizabeth Moss) a fazer um teste de gravidez. Como o resultado é positivo, a Esposa vai confrontar Fred (Joseph Fiennes), dizendo que o bebê não é dele — mas sim de Nick (Max Minghella). Para piorar, Offred/June se recusa a apedrejar Janine (Madeline Brewer), e todas as aias a seguem, causando a ira de Tia Lydia (Ann Dowd), que promete consequências. Por fim, uma van preta vem buscar Offred/June — e ficamos meses sem entender o que isso significava.

The Good Place — 1ª temporada, "O Plano de Michael"

Depois de toda uma temporada vendo Eleanor (Kristen Bell) tentando merecer seu lugar no Lugar Bom, Shawn (Marc Evan Johnson) diz que eles terão que escolher duas pessoas para ficar e duas para ir ao Lugar Ruim. Então, uma reviravolta que ninguém esperava surge: Eleanor descobre que eles já estão no Lugar Ruim, e que tudo era um plano de Michael (Ted Danson). Para piorar, eles são resetados e perdem toda a sua memória — não sem Eleanor ter outra sacada genial.

Breaking Bad — 5ª temporada, "Gliding Over All"

Não é o final da temporada mesmo, mas sim do primeiro bloco de episódios — porém, como precedeu um hiato da série, está valendo. Na cena que encerra o episódio, o agente Hank (Dean Norris) está na casa dos White e precisa ir ao banheiro. Ele resolve levar algo para ler durante "os trabalhos", e escolhe "Leaves of Grass", do poeta Walt Whitman. Acaba que o livro o ajuda a perceber que Walter White (Bryan Cranston), o cunhado de sua esposa, é Heisenberg, o traficante que ele procurava.

Crazy Ex-Girlfriend — 3ª temporada, "Nathaniel é irrelevante"

Infelizmente, pouca gente vê essa série. Se você não assiste, vá corrigir isso e pule esse trecho para evitar spoilers. É que toda a terceira temporada é bastante confusa, com Rebecca (Rachel Bloom) lidando com seu diagnóstico de Transtorno de Personalidade Borderline e finalmente tomando controle e responsabilidade pelas coisas que lhe acontecem. Ao tentar impedir seu stalker de matar Nathaniel (Scott Michael Foster), ela acaba na cadeia. Mas, quando vai se declarar "culpada por insanidade", ela decide se declarar apenas culpada e arcar com as consequências. E o episódio acaba.

Orange Is the New Black — 4ª temporada, "Torrada Não Volta a ser Pão"

A quinta temporada da série foi uma bagunça e bastante problemática em vários aspectos, mas não podíamos esperar isso apenas vendo o fim da quarta temporada. Estávamos digerindo a morte de Poussey (Samira Wiley), enquanto Taystee (Danielle Brooks) tentava garantir que sua morte tivesse o mínimo de dignidade. Mas enquanto Caputo (Nick Sandow) concorda em ligar para o pai de Poussey, ele se recusa a culpabilizar o guarda Bailey (Alan Aisenberg), pelo fato de ele não ter treinamento adequado para o cargo. Então, Taystee e as demais detentas enfurecidas resolvem fazer uma rebelião. Quando Humpfrey (Michael Torpey) tenta impedi-las, perde sua arma — que nem deveria ter —, e Daya (Dasha Polanco) a aponta contra ele, sabendo que isso vai impedi-la de ver sua filha para sempre.

The Walking Dead — 6ª temporada, "Último Dia Na Terra"

No episódio final, Negan (Jeffrey Dean Morgan) se irrita com o grupo de Rick (Carl Grimes), mas diz que não quer matar ninguém — apenas deseja que trabalhem para ele. É claro que não era verdade: ele pega Lucille e quebra um dos crânios, deixando todos sem saber quem foi a vítima.

Este texto foi escrito por Verenna Klein via nexperts.