A criminalidade corre no sangue da família Ocean. Em Oito Mulheres e um Segredo, Sandra Bullock interpreta Debbie, irmã de Danny Ocean (papel interpretado por George Clooney no passado), que assume o legado no crime e lidera um grupo de mulheres extraordinárias para realizar um golpe perfeito.

A produção é um excelente exemplar do gênero de filmes de assalto, estruturado em torno do carisma e do talento do elenco feminino. Junto com Sandra Bullock, o time é formado por Cate Blanchett, Helena Bonham Carter, Anne Hathaway, Mindy Kaling, Awkwafina e Rihanna.

As atrizes dividem bem o tempo de tela, com ótimo desenvolvimento para cada uma das personagens. Uma grata surpresa de Oito Mulheres e um Segredo é perceber que artistas de peso, como Rihanna, não foram chamadas apenas para pequenas participações e para agregar nomes famosos aos cartazes e letreiros – pelo contrário, há um envolvimento efetivo de todas elas com a trama.

A narrativa de assalto segue a cartilha de sempre, com a apresentação e preparação do golpe, a execução do plano em si e a tradicional pegadinha final que revela elementos que o público desconhecia. Neste caso, a história envolve o elaborado roubo de um caríssimo colar de diamantes durante um jantar de gala no MET (o Metropolitan Museum of Art) em Nova York.

Ainda que o estilo de roteiro seja familiar, o filme se destaca pela elegância e pelo humor que apresenta através de suas protagonistas. O timing cômico de Helena Bonham Carter é impecável; enquanto Anne Hathaway esbanja charme e dissimulação como uma peça do golpe. E, acima de tudo, Sandra Bullock brilha no papel principal e parece ser o rosto certo para levar a franquia Ocean adiante.

Logo se percebe por que antes havia 11 homens (ou mais) e agora são apenas 8 mulheres: porque elas realmente são melhores e mais eficientes do que eles.