O ator Joaquin Phoenix deve dar vida à nova versão do Coringa, agora em um filme de Todd Phillips que vai contar a origem do mais famoso vilão do Batman. Simultaneamente, Jared Leto também vai interpretar o Joker em um filme exclusivo acompanhando a história de Esquadrão Suicida.

Mas, como assim? Dois filmes paralelos sobre o mesmo vilão, com atores diferentes? A questão é que uma história não deve afetar a outra de nenhuma forma, e o filme de Phillips deve marcar o início de uma nova bandeira, um segundo caminho da DC — na tentativa de salvar a marca, uns diriam, já que os últimos filmes foram bastante falhos. O próprio Esquadrão Suicida foi uma verdadeira decepção até para os fãs mais convictos do universo da DC.

Por conta disso, esse novo trajeto iniciado por Phillips vai fazer parte de uma nova marca, que pode ser chamada de DC Black ou DC Dark, conforme contam rumores por aí.

Isso deve dar aos produtores de novos filmes do universo DC mais liberdade para criar e inovar em suas histórias sem prejudicar a linha do tempo que já acontece — e que, convenhamos, não é exatamente um grande hit.

Colocando a casa em ordem

A Warner vem fazendo grandes mudanças em seu corpo executivo neste ano. Em janeiro, Walter Hamada foi nomeado presidente de filmes baseados na DC Entertainment dentro da Warner Bros. Em junho, foi anunciado que a presidente Diane Nelson não retornaria e Geoff Johns, executivo da DC, também estava sendo movido de cargo.

Uma reorganização é realmente necessária para tentar fazer as coisas melhorarem. O surpreendente sucesso de Mulher-Maravilha, que arrecadou US$ 821,8 milhões mundialmente, contrariou a receita de todos os outros filmes da franquia até agora. Liga da Justiça, grande aposta da marca em 2017, arrecadou bem menos do que isso: US$ 657,9 milhões.

Tendo essas e outras repercussões em mente, Hamada passou meses avaliando o cronograma com os próximos filmes para definir a quais dar destaque, de quais reduzir o orçamento — e quais cortar. É por isso que, neste ano, o único herói a ganhar um filme solo será Aquaman.

Em 2019, será a vez de Mulher-Maravilha 1984, que começou a ser filmado em 13 de junho, e de Shazam, com Zachary Levi. Ainda no ano que vem, será gravado o longa do Flash, com Ezra Miller, e Margo Robbie estrela um spin-off sobre a Arlequina, já que foi uma das poucas partes positivas de Esquadrão Suicida. Além disso, um filme da Batgirl estava em andamento com Joss Whedon, mas o diretor abandonou o barco em fevereiro, então ele ainda está sem comando.

Este texto foi escrito por Lu Belin via nexperts.