Não é novidade que Johnny Depp anda colecionando mais deméritos do que novos êxitos na carreira nos últimos anos. Suas últimas parcerias com a Disney — O Cavaleiro Solitário, Alice no País do Espelho e Piratas do Caribe: A Vingança de Salazar — tiveram arrecadações bastante inferiores se comparadas às de seus filmes precursores.

Como se isso não bastasse, sua vida pessoal está atrelada a graves polêmicas desde 2016; a pior delas foi a denúncia de agressão por sua ex-esposa, a atriz Amber Heard (A Garota Dinamarquesa; Aquaman), decepcionando de imediato seus muitos admiradores que não se cansam de se manifestar nas redes contra a permanência do ator na franquia Animais Fantásticos.

A fim de esclarecer e revelar muitos e conturbados pontos recentes de sua vida, principalmente quanto aos processos contra a The Management Group, Depp chamou o jornalista da Rolling Stone, Stephen Rodrick, para um papo que acabou se estendendo por dias — incluindo um total de 72 horas em uma mansão alugada pelo astro em Londres e até mesmo um jantar ao lado de Penélope Cruz e Stella McCartney.

Como o artigo intitulado "The Trouble With Johnny Depp" envolve vários detalhes financeiros extensos, selecionamos os pontos mais relevantes da matéria que não esconde os hábitos ostensivos do ator. Confira na lista abaixo:

1. Obsessão por imóveis

7 fatos sobre Johnny Depp revelados em entrevista para a Rolling Stone

Uma das primeiras coisas que Depp fez quando despontou em Hollywood, ainda nos anos 80, foi comprar uma pequena fazenda de cavalos em Kentucky para sua mãe, Betty Sue, em honra à vida difícil que ela teve antes mesmo de ter de criar quatro filhos sozinha. Depois de três décadas de carreira, o ator hoje soma 14 imóveis avaliados em um total de US$ 75 milhões, incluindo uma mansão na Sunset Boulevard apelidada de "Castelo do Drácula", um casarão na França para a ex-esposa Vanessa Paradis e seus filhos Jack e Lily-Rose e uma ilha nas Bahamas.

No entanto, o histórico de Depp em compra e venda de moradias também é caótico. Em 2008, em plena crise imobiliária, o ator teria obrigado Joel Mandel, seu então gerente financeiro, a adquirir um imóvel adjacente à sua morada em Hollywood Hills. Em outro caso, quando as contas do astro apontavam para o vermelho em 2015, Mandel sugeriu que Depp vendesse uma propriedade em Saint-Tropez, na França, com valor estimado em US$ 13 milhões. Quebrando o acordo por não ter pressa em desocupar o espaço, o preço subiu para US$ 27 milhões, afastando possíveis interessados.

2. Consumo de vinho e gastos desenfreados

Uma das primeiras frases do texto de Rodrick afirma que "estima-se que Depp tenha faturado US$ 650 milhões em filmes que arrecaram US$ 3,6 bilhões. Quase tudo se foi".

Enquanto a The Management Group relatou para o Hollywood Reporter que gastava US$ 30 mil mensais em vinhos, Depp teria considerado a afirmação um "insulto" porque, segundo ele, se tratava de uma cifra bem maior.

Além disso, a matéria da Rolling Stone relata que o ator gastou por volta de US$ 108 mil em ternos em Singapura, US$ 7 mil dedicados a comprar de presente para a filha um sofá do set de Keeping Up With The Kardashians, US$ 200 mil mensais para voos particulares e a quantia de US$ 5 milhões para lançar as cinzas de seu amigo Hunter S. Thompson ao céu com um canhão.

Proprietário de 45 carros de luxo, Depp teria comprado também 70 guitarras, violões e 200 obras de arte assinadas por grandes nomes, como Basquiat e Warhol.

3. A verdade sobre o ponto eletrônico no ouvido

Listado no processo da TMG, conta-se que Johnny Depp adicionou um engenheiro de som na folha de pagamento para que pudesse receber as linhas do roteiro com um ponto eletrônico no ouvido durante as filmagens. Se isso soou como outra decepção para os admiradores dos trabalhos habitualmente carismáticos do ator, Depp expôs sua justificativa em defesa de uma atuação de olhar expressivo:

"Assim eu ouço gaitas de foles, um bebê chorando e bombas explodindo", disse Depp. "Isso cria uma verdade. Alguns dos meus maiores heróis estavam no cinema mudo. Tinha que estar por trás dos olhos. E meu sentimento é que, se não há verdade por trás dos olhos, não importa o que raios as palavras são."

4. Penélope Cruz e subtramas em Piratas do Caribe

7 fatos sobre Johnny Depp revelados em entrevista para a Rolling Stone

Grávida durante as gravações do quarto Piratas do Caribe, Penélope Cruz teria cogitado sair da produção, mas foi logo contrariada pelo ator, que foi totalmente cavalheiro com a colega. "Ele me protegia todos os dias e, no final, eu estava grávida de 6 meses", contou a atriz. "Eu nunca vou me esquecer disso." Além disso, o artigo relata que Cruz imagina o amigo interpretando Jack Sparrow com 70 ou até 80 anos.

Depp também revelou que, ainda no primeiro filme, ele teria soltado uma expressão obcena como uma fala, mas foi removida a tempo do lançamento do DVD. Portando-se um protetor de seu icônico pirata, o ator contou que sempre discutia repetidamente com os roteiristas sobre o personagem: "Para que essas subtramas hediondas?" perguntou Depp. "É uma enrolação. Não há uma alma que queira ver o Capitão Jack Sparrow triste."

5. O casamento com Amber Heard

7 fatos sobre Johnny Depp revelados em entrevista para a Rolling Stone

Amber Heard e Johnny Depp se conheceram nas gravações do filme Diário de um Jornalista Bêbado, em 2009, e começaram a namorar 3 anos depois; em fevereiro de 2015, eles se casaram, mas o matrimônio conflituoso acabaria no final de maio de 2016. Antes disso, a família do astro teria se colocado contra o casamento.

O artigo conta que Christi (a irmã de Johnny) teria lhe recomendado a fazer um acordo pré-nupcial, mas Depp desprezou o conselho e ainda cortou relações ela, que há tempos administra sua carreira e sua produtora, investindo em uma cerimônia de US$ 1 milhão em sua ilha nas Bahamas.

A separação com Heard custou outros US$ 7 milhões e uma medida restritiva, além de outras implicações que impediram o ator de comentar sobre o caso na entrevista.

6. Depressão

Recém-divorciado e se deparando com os percalços judiciais, Depp acreditou estar no fundo do poço. Ele conta: "Eu estava absolutamente pra baixo. O próximo passo seria: 'Você vai chegar a algum lugar com os olhos abertos e sair de lá com os olhos fechados'. Eu não aguentava a dor todos os dias".

Decidindo redigir um memorial em uma máquina de escrever enquanto estava em turnê com a banda Hollywood Vampires ao lado de Alice Cooper, o ator começa a beber vodka logo pela manhã e escrevia até que seus olhos estivessem marejados de lágrimas a ponto de não enxergar mais a página.

"Eu continuava tentando descobrir o que havia feito para merecer aquilo", disse Depp. "Eu tentei ser gentil com todos, ajudar todo mundo, ser sincero com todos. A verdade é o mais importante para mim. E tudo isso aconteceu mesmo assim."

7. Uma volta como diretor

7 fatos sobre Johnny Depp revelados em entrevista para a Rolling Stone

Tendo dirigido apenas um longa-metragem em 1997 (O Bravo, coestrelado por Marlon Brando), Depp revelou ter vontade de voltar à direção de um filme assim que findarem seus problemas judiciais. Ele pensa em adaptar um livro francês que narra a história de um homem que perde a esposa e tudo o mais, decidindo dar entrada em um asilo de idosos mesmo tendo 40 e poucos anos. Para Depp, haveria um porém: "Seria ótimo, mas Hollywood não assume mais projetos arriscados".

Este texto foi escrito por Thiago Cardoso via nexperts.