Sex Education, a série britânica que estreou na Netflix no começo do ano, conta a história de Otis, o adolescente tímido que se torna o terapeuta sexual informal da escola. Revelar mais que isso é estragar a delícia que é assistir aos oito episódios. Abaixo, algumas curiosidades sobre a série:

1. A influência oitentista

10 curiosidades sobre Sex Education

Qualquer semelhança com os filmes de comédia de John Hughes não é mera coincidência. Os produtores da série revelaram a inspiração utilizada em vários elementos: trilha sonora, figurinos, maquiagem, cenografia… A homenagem é tão palpável que gerou estranhamento do público britânico, já que a representação do colégio, com gabinetes de material, insígnias de times pendurados na parede e bailes, são típicas do imaginário americano de High School.

2. A vida imita a arte

10 curiosidades sobre Sex Education

Os atores que interpretam o casal Aimee e Adam no começo da série engataram um romance na vida real. Aimee-Lou Wood e Connor Swindell se conheceram durante as filmagens da série e, desde então, não se desgrudam, provando que a química entre os atores foi muito maior que entre os personagens.

3. Girl Power

A equipe de roteiristas da série é quase toda formada por mulheres, além da criadora, Laurie Nunn. É interessante notar que Sex Education foge de uma representação unidimensional e estereotipada (tão perpetuada nas comédias adolescentes) e apresenta personagens femininas únicas, dotadas de complexidade e sujeitas da própria narrativa.

4. Ator mirim

Asa Butterfield, que interpreta o protagonista Otis, começou cedo sua carreira de ator, estrelando grandes sucessos (Ender's Game, A invenção de Hugo Cabret e O Menino do Pijama Listrado). Asa inclusive foi escalado para viver o novo Homem-Aranha, mas perdeu o papel após uma discussão com fãs que não gostaram da escolha. Coincidência ou não, pendurado na parede do quarto de Otis, há um desenho da máscara do Homem-Aranha rabiscado com um X.

5. Me too

Para realizar as cenas de sexo (que não são poucas), a Netflix contratou uma coordenadora sexual, Ita O'Brien. Além de coreografar as interações, era sua responsabilidade assegurar o consentimento entre os atores. Ita busca que as cenas de sexo sejam ensaiadas com o mesmo afinco que uma que envolva luta ou perseguição, e que todos os envolvidos, atores e equipe, sejam consultados durante o processo.

6. Crossover com Game of Thrones

No terceiro episódio da série, conhecemos uma das mães de Jackson. Sua personalidade rígida e controladora não é novidade para a atriz Hannah Waddingham, que também interpretou a Septã Unella em Game of Thrones (aquela que fica gritando "Shame" (vergonha) durante a caminhada da vergonha de Cersei). O Netflix inclusive postou uma foto das personagens fazendo piada com o bordão.

Tradução: Se você não conseguiu entender por que você (e a Maeve) ficaram tão assustados com a mãe de Jackson em Sex Education, que vergonha!

7. Homenagem à cinematografia LGBT

No 5º episódio, quando Otis e Eric se montam para ir ao cinema, é ao filme Hedwig: Rock, Amor e Traição que eles vão assistir. Ele foi lançado em 2001 e conta a história de uma rock star trans que deixa Berlim para tentar o sucesso nos EUA. Baseado em uma peça off-Broadway, Hedwig se tornou um clássico cult e uma referência à comunidade queer.

8. Vovó desinibida

A atriz Emma Mackey estava receosa de como seus avós reagiriam quanto às suas cenas de sexo na série; porém, para sua surpresa, eles adoraram. Além disso, queriam que existisse uma série assim há 50 anos. A propósito, a cena favorita da avó de Emma é a simulação de sexo oral na banana.

9. Terno importado

Eric, o melhor amigo de Otis, rouba a cena e é oficialmente o xodó da série. Para sua cena de formatura, a produção importou da África seu figurino, que representa as origens do personagem e sua família ganesa/nigeriana. Ele usou um terno de kente (tecido de Gana, estampado multicolorido) e um gele da Nigéria (um tipo de turbante) na cabeça. Ncuti Gatwa, ator que interpreta Eric, tem ascendência ruandesa e revelou que as peças ajudaram na construção do personagem e em sua conexão com suas raízes.

10. Sexo animal

Parte da preparação do elenco envolveu assistir a vídeos de rituais de acasalamento do mundo animal. Desde caracóis a leões, gatos, cachorros e mais. Depois, eles compareciam a uma aula e passavam a tarde imitando os rituais em cadeiras ou paredes.

Menções honrosas:

  • "It's my vagina"
  • A abordagem saudável da série, tão importante em tempos de kit gay e ideologia de gênero.
  • Gillian Anderson nos presenteando sempre com sua maravilhosidade e com uma personagem diferente do que estamos acostumados a vê-la fazendo.

Este texto foi escrito por Janaína Dalri via nexperts.