Kevin Tsujihara não é mais o CEO e presidente da Warner Bros. Entertainment.

Tsujihara esteve há seis anos no cargo, aprovando e encomendado importantes produções da casa, como a franquia Animais Fantásticos e os filmes do DCEU.

O executivo deixou a posição, na manhã desta segunda-feira (18), após a polêmica revelação de um caso extraconjugal de Tsujihara com a atriz britânica Charlotte Kirk, que estaria obrigando o CEO a encaixar testes e assegurar papéis para ela em produções da Warner. A atriz consegui pequenas participações em Como Ser Solteira (2016) e Oito Mulheres e um Segredo (2018) com o affair.

Em comunicado à imprensa, o CEO da WarnerMedia, John Stankey, informou: É do interesse da WarnerMedia, da Warner Bros., nossos funcionários e nossos parceiros, que Kevin renuncie ao cargo de presidente e CEO da Warner Bros.".

O conglomerado WarnerMedia deverá nomear uma equipe de executivos interinamente para o comando do complexo de estúdios em Burbank (onde estão localizados os lotes da Warner Bros.). Entre os nomes sugeridos estão: Toby Emmerich (presidente da Warner Bros. Motion Pictures Group), Peter Roth (CCO e presidente da Warner Bros. Television Group) e Pam Lifford (presidente da Warner Bros. Global Brands and Experiences).

Mudança na Warner: Kevin Tsujihara deixa a presidência do estúdioKevin Tsujihara deixa o cargo de CEO e presidente da Warner Bros. Entertainment

Kevin contribuiu muito para o sucesso do estúdio nos últimos 25 anos e, por isso, agradecemos a ele. Kevin reconhece que seus erros são incompatíveis com as expectativas de liderança da empresa e poderiam afetar o futuro da companhia", relatou John Stankey em seu comunicado.

Antes de servir como CEO, Tsujihara foi presidente da Warner Bros Home Entertainment. Ele assumiu o cargo na Warner Bros em 2014, trazendo crescimento financeiro ao estúdio, revitalizando a DC através de filmes, programas de TV e quadrinhos, ampliando o universo de Harry Potter com a franquia Animais Fantásticos e expando as operações da Warner Television (hoje a produtora dominante na indústria com mais de 100 séries no ar).

Renúncia

Em sua própria carta enviou aos funcionários da Warner, Kevin Tsujihara disse que decidiu renunciar “após refletir sobre como minhas ações passadas poderiam afetar o futuro da empresa".

“Ficou claro que minha liderança poderia ser uma distração e um obstáculo para o sucesso contínuo da empresa. O trabalho duro de todos dentro de nossa organização é verdadeiramente admirável, e eu não vou deixar a atenção da mídia sobre meu passado prejudicar o grande trabalho que a equipe está fazendo”, escreveu o executivo ao deixar a função.

Time Warner: aquisição pela AT&T e os planos de streaming

A Warner passa mesmo por um momento importante e precisa dispensar as distrações. O grupo Time Warner – que conta também com HBO, CNN, Cartoon Network, DC Comics, entre outras marcas – acaba de ser adquirido pela AT&T em um acordo de US$ 85 bilhões e que vem, aos poucos, mexendo nas estruturas e hierarquias do conglomerado.

Ao mesmo tempo, a companhia planeja o lançamento de seu próprio serviço de streaming com o catálogo da WarnerMedia; com a perspectiva de usar títulos famosos, como Friends e The Big Bang Theory, para fazer concorrência ao mercado hoje dominado pela Netflix.

Antes do caso vir à tona, Tsujihara havia assumido responsabilidades extras com a aquisição pela AT&T e passaria a comandar também o conjunto de propriedades infanto-juvenis da WarnerMedia (como o Cartoon Network, Adult Swim, Boomerang e Turner Classic Movies) – o que possivelmente envolveria projetos para a plataforma online da companhia.

Com tudo isso em jogo, ficamos cada vez mais interessados nos planos e nos bastidores do estúdio de Burbank.